Sem categoria

40 ANOS DA OJM

Vai o meu reconhecimento à Organização da Juventude Moçambicana (OJM), fundada a 29 de Novembro de 1977, que celebra hoje o seu quadragésimo aniversário.

Tive bons e maus momentos ao longo da minha militância na OJM, tive a oportunidade de participar em actividades no bairro, na escola, e também pude emprestar a minha contribuição ao mais alto nível da OJM, e em todos os casos aprendi a auto-superação, a persistência, a disciplina, o trabalho em equipe, a organização e planificação do trabalho, e também a lidar com vários tipos de comportamentos e adversidades.

Tive o previlégio com a OJM de Conhecer e conviver com grandes militantes, líderes, desportistas, informais, empresários, politicos, reclusos, artistas, desempregados, professores, enfermeiros, engenheiros dentre outras sensibilidades, ou seja, de conviver com a real Juventude Moçambicana em vários pontos do País e perceber melhor os seus desafios.

40 anos depois a OJM deve intensificar a sua missão de educação patriótica e de organizar os jovens moçambicanos, bem como a de ser actor de consolidação da inclusão e da Unidade Nacional no seio dos jovens.

Bem haja OJM

Advertisements
Standard
Sem categoria

Qual é a sua avaliação dos primeiros 6 meses do ano 2017 em Moçambique

No principio do ano escrevi aqui sobre os meus prognósticos relativamente ao ano 2017, tendo considerado que era o ano da nova caminhada em Moçambique. Passados 6 meses , gostaria de contar com a sua avaliação, por isso vale a pena rever o texto para aferir os desenvolvimentos nos campos político e econômico que se verificam e continuarmos a projectar o ano 2017, sem descurar da conjuntura política e econômica regional e internacional que continuam favoráveis para o nosso país, pese embora persistam desafios.

Sem sombra de dúvidas que continua visível a demonstração, a nível pessoal, por parte do Presidente da República, Filipe Nyusi, do seu assinalável engajamento em questões sensíveis do país e na diplomacia internacional, tanto no campo político assim como econômico, no entanto vamos o público é quem melhor avalia.

Que aspectos positivos e negativos podem se destacar até ao momento nos seguintes campos :

  • Alcance da Paz efectiva;
  • Desenvolvimento da agricultura;
  • Impacto das redes sociais na governação;
  • Preparação do 11 Congresso da FRELIMO

Basílio Muhate

Standard
africa, China Africa, Juventude, Sem categoria

Cooperação China-Africa vista pela juventude Africana *

* Edmundo Galiza Matos Junior, intervenção em representação de África na abertura do Primeiro Festival da Juventude Asia-Africa, Beijing

Distintos dirigentes da República Popular da China
Caros jovens asiáticos, africanos e nossos hospedeiros da China
Minhas senhoras e meus senhores

1. Cabe-nos a honra de proceder a um discurso em representação de todos os jovens africanos, convidados pelo nosso país amigo e irmão, a China e fazemos com bastante agrado, mas sobretudo com muita esperança de aqui renovarmos os nossos laços de irmandade;

2. Começo por fazer um enquadramento histórico, político e social do nosso maravilhoso continente, África;

3. O Norte da África é a região mais antiga do mundo. A civilização egípcia floresceu e inter-relacionou-se com as demais áreas culturais do mundo mediterrâneo;

4. Durante o século quinze, exploradores europeus de Portugal, da Espanha, da França, da Inglaterra e dos Países Baixos chegaram a África e iniciaram o comércio de escravos;

5. Os nossos antepassados foram usados para desenvolver o ocidente como mão-de-obra barata, como escravos. As primeiras viagens científicas a Africa realizadas por Charles-Jacques Poncet na Abissínia, em 1700; James Bruce em 1770, procurando o local onde nasce o Nilo; Friedrich Konrad Hornermann viajando no deserto da Líbia num camelo, em 1798; Henry Morton Stanley e David Livingstone na bacia do Congo, em 1879 abriram as portas para a divisão de um continente que destruiu e modificou as estruturas sociais, económicas, políticas e religiosas da maioria do território da África negra;

Continue reading

Standard
Geraçao 8 de Março, Moçambique, Mulher, Mulher Moçambicana, OMM, Sem categoria

Dedicatória pelo dia Internacional da Mulher 

8  de  Março é o dia  Internacional  da  Mulher, que em Moçambique celebra-se sob  o Lema:”As  Mulheres  no  Mundo  do  Trabalho  em  Mudança:  Por Um  Planeta  50-50  em  2030”. Quero associar-me a este movimento de reconhecimento à Mulher, particularmente à Mulher Moçambicana, nossa avó, nossa mãe, nossa irmã, nossa esposa, nossa filha, nossa amiga, nossa colega,  pela passagem deste dia.

Não há dúvidas que a Mulher sempre demonstrou a sua abnegação, dedicação e sacrifício nas acções que desenvolve em prol das famílas, das comunidades e da sociedade em geral.

As mulheres são grandes percursoras e activistas da igualdade do genero, participaram activamente na luta pela independência de Moçambique,  criaram o Destacamento Feminino que mais tarde viria a ser a Organização da Mulher Moçambicana (OMM)  grande impulsionadora do movimento associativo feminino em Moçambique.

Orgulho-me em constatar que nos campos político, económico e social existem em #Moçambique e em todo #Mundo, mulheres que se destacam pelo mérito e pela abnegacção às activitidades que desenvolvem.

 Desejo festas felizes  à  toda #Mulher  do  Mundo e  em  particular a Moçambicana por esta data.

wp-1488964186069.jpeg

Ps: Não posso deixar de felicitar aos jovens da Geração 8 de Março que em Moçambique, sob liderança do Presidente Samora Moisés Machel, se destacou  em tarefas de construção do estado Moçambicanos no período pós-independencia.

Standard
Moçambique, Sem categoria

2017: o ano de uma nova caminhada em Moçambique?

maputo2

Não há dúvidas de que 2016 foi um ano adverso. Tanto ao nível nacional como internacional, desde a tensão político-militar, passando pela depreciação cambial em Moçambique; a difícil gestão da dívida pública, passando pelas tensões económicas e políticas em alguns países do continente africano, as situações na Ucrânia e na Síria, o impeachment à Presidenta Brasileira Dilma Rousseff; o escândalo de corrupção que foi descoberto através de 11,5 milhões de documentos, denominado “Panamá papers”; as eleições norte americanas que elegeram Donald Trump numa eleição Disputada com a Democrata Hillary Clinton, dentre outros.

O que é que 2017 pode nos trazer ?

Continue reading

Standard